Linux bem virtualizado no Hyper-V

Publicado: 21 de julho de 2009 em Não categorizado

Como todos sabem, a Microsoft está enganjada em sua plataforma de virtualização e possui uma série de produtos que atendem bem a plataforma. Acontece que, um fato que não podemos contestar, é que somente quando pensamos em virtualizar produtos da própria Microsoft é que esse engajamento era percebido. Ou seja, se você precisar virtualizar toda uma estrutura de servidores Microsoft usando o Hyper-V, por exemplo, você terá êxito na sua empreitada. São poucos os produtos que podem apresentam incompatibilidades (como foi apresentado em outro post, existe um site onde você consegue saber, com facilidade, se existe a incompatibilidade ou não. Para ver o site, clique aqui).

Sendo assim, o principal concorrente da Microsoft no mundo da virtualização, ou seja, a VMWare, ainda conquista um bom espaço, pois consegue virtualizar bem outros produtos. E quando digo outros produtos, estou me referindo, principalmente ao Linux. O Linux funciona muito bem quando virtualizado no VMWare, enquanto que no Hyper-V, você só tem mesmo o Red Hat e o Suse. Ok, eu sei que dá para instalar outras distribuições do Linux no Hyper-V (Debian, por exemplo), mas você não poderá usar o Integration Components, por exemplo.

Para resolver este problema, a Microsoft liberou ontem cerca de 20000 linhas de código que irão permitir que a comunidade Linux possa fazer com que este sistema funcione adequadamente na plataforma Hyper-V. Entendam que através dessa iniciativa é possível fazer com que as empresas gastem menos com a plataforma de virtualização (quem usa VMWare, sabe que a plataforma funciona muito bem, mas que o custo é muito alto). Já pensou? Por exemplo, será possível usar o Microsoft Hyper-V Server R2 gratuitamente como plataforma de virtualização, com suporte ao Live Migration e tudo mais e ainda conseguir virtualizar os workloads baseado em Windows e Linux.

Bem, a matéria completa falando sobre este lançamento você econtra aqui. Porém, para quem tem dificuldade com o Inglês, fiz uma tradução (me desculpem se eu errei muito no texto rsrs. Tentei fazer rápido) que segue abaixo.

“Naquilo em que muitos vêem como uma jogada surpreendente, a Microsoft liberou hoje 20.000 linhas de código para drivers de dispositivo para a comunidade Linux sob a Licença GPLv2.

O código inclui três drivers Linux, e foi apresentado à comunidade do Kernel Linux para inclusão na sua árvore.

Os drivers estarão disponíveis tanto para a comunidade Linux quanto para clientes, e irá melhorar o desempenho do sistema operacional Linux quando Virtualizado sobre o Windows Server 2008 Hyper-V ou o Windows Server 2008 R2 Hyper-V.

Em um artigo publicado para o Microsoft’s PressPass site, Tom Hanrahan, diretor da Microsoft’s Open Source Technology Center, observa que este é um marco importante, porque é a primeira vez que a empresa libera código diretamente para a comunidade Linux. "Além disso é importante ressaltar que nós estamos liberando o código sob a licença GPLv2, que é o tipo de licença preferido pela comunidade Linux”, disse ele.

No mesmo artigo, Sam Ramji, diretor sênior do Platform Strategy da Microsoft, aponta que a Microsoft e a comunidade open-source estão crescendo juntas, o que é, em última instância, um benefício para os clientes. Um exemplo disto é a comunidade Linux, que construiu uma plataforma utilizada por muitos clientes. "Portanto, nossa estratégia é melhorar a interoperabilidade entre a plataforma Windows e muitas tecnologias open-source, que inclui Linux, para fornecer as opções que os nossos clientes estão pedindo", disse ele.

Um exemplo de como a Microsoft participa com e contribui para o open-source é a sua relação com a Comunidade PHP. O envolvimento da empresa inclui a contribuição para o PHP engine, otimizando o PHP 5.3 para executar de forma robusta no Windows, e trabalhando para melhorar o desempenho de inúmeras aplicações PHP no sistema. Depois, há a participação em curso em vários projetos para a Apache Software Foundation, tais como Hadoop, Stonehenge e QPID.
"Em suma, estamos empenhados na construção de estratégias empresariais sustentáveis para o código aberto da Microsoft … vemos o open-source como jogar em três áreas-chave, uma das quais é a utilização de "entrada" do open-source e o modelo de desenvolvimento open-source para tornar os nossos processos de desenvolvimento do software mais eficientes."

"Bons exemplos disto incluem o que fizemos recentemente com jQuery no Visual Studio 2008, a implementação de conectores e adaptadores OpenPegasus no System Center Operations Manager, e os trabalhos que a equipe de HPC da Microsoft fez com o Laboratório Nacional Argonne (ANL) a fonte MPICH2 sua execução, que é uma aplicação portátil da MPI utilizadas em cluster computacional e super computadores ", disse Ramji.

Faremos a posta em uma série de outros artigos sobre a liberação do dispositivo de código para a comunidade Linux ao longo da semana, vários dos quais será escrita por Hank Janssen da Microsoft’s Open Source Technology Center, para olhar por eles.”

Um abraço e até a próxima!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s